Como fazer Pesquisa Psicanalítica?

A pesquisa psicanalítica pode ser entendida não apenas pelo objeto da pesquisa, mas também pelo método como esse objeto é pesquisado. Para tanto, deve-se usar o método psicanalítico. A pesquisa psicanalítica ou a pesquisa por meio da psicanálise é utilizada desde os primeiros momentos desta ciência. O que Freud, seu fundador, chamava de “psychoanalytische Forschung” que, em alemão significa pesquisa psicanalítica. Por ele foi usado por ele desde que começou a empreender a psicanálise.

Não apenas Freud, mas muitos de seus seguidores ou sucessores usaram da psicanálise para pesquisa. Lacan, por exemplo, usou do termo “recherche psychanalytique”, que significa pesquisa psicanalítica em francês para também empreender seus estudo e trabalhos.

Dentro desse intuito, a fim de se manter a fidelidade em relação à pesquisa psicanalítica, é importante que se use realmente essa ciência como base. Isto é, muitos pesquisadores acreditam que ao realizarem pesquisas em campos como psicologia, sociologia ou antropologia estão realizando pesquisas psicanalíticas. O que, muitas vezes, não ocorre, de forma propriamente dita. Estando ligada tanto ao objeto quanto ao método de pesquisa, a pesquisa psicanalítica usa o método psicanalítico como base para ser empreendida. Para tanto, se faz necessário se entender como funciona o modelo psicanalítico.

O modelo psicanalítico

Pode-se entender como modelo psicanalítico como algo que possui mais de um significado. Ele está relacionado a todo o método terapêutico utilizado para tratar pessoas com problemas psíquicos, assim como o próprio procedimento de investigação ou pesquisa em que ela se baseia. A psicanálise pode ser entendida como um procedimento para investigação dos processos mentais. Ela busca pensamentos, sentimentos, fantasias e sonhos, procurando desvendar o inconsciente, que é uma das partes da mente humana. Dessa forma, têm-se processos que eram praticamente inacessíveis de outra forma e que se tornaram possíveis por meio da psicanálise e do método psicanalítico.

O método baseado dessa investigação, utilizado para o tratamento das neuroses, também é conhecido como método ou modelo psicanalítico. Ele é uma das bases para a pesquisa psicanalítica. Assim como o método de investigação pelo qual se busca o significado inconsciente das palavras, atos e produções imaginárias é o método psicanalítico. A pesquisa psicanalítica perpassa o movimento pelo qual o psicanalista procura tornar o inconsciente consciente. A questão do inconsciente é muito importante para o modelo psicanalítico e, consequentemente, para a pesquisa psicanalítica.

Além disso, é importante pontuar que o método psicanalítico que, iniciado como método clínico e científico criado por Freud, foi elevado a método científico por Lacan.

Pode-se caracterizar como a pesquisa psicanalítica como o procedimento de investigação criado pela psicanálise. O que se justifica, pois cada grande ciência ou teoria cria o seu próprio procedimento de investigação, ou pesquisa.

A pesquisa psicanalítica e sua abordagem

Ao se analisar a pesquisa psicanalítica, vê-se que ela possui uma diferença com relação às demais abordagens. Essa diferença pode ser pontuada, principalmente, por dois fatores.

Primeiro, pelo fato de que ela não incluir em seus objetivos a precisão de uma inferência de forma generalizada. Seja com essa inferência com relação à amostra ou mesmo com relação à população. Isto por que os seus resultados modificam o modo como os pesquisadores psicanalíticos demarcam a sua posição com relação aos novos sentidos. Sentidos produzidos pelo texto que torna a pesquisa pública.

E em segundo lugar, pelo fato de que as suas estratégias de análise de resultados não trabalham com o signo. Mas sim com o significante.

Assim sendo, a pesquisa psicanalítica é examinada a partir de sua singularidade e da relação do significante em oposição ao signo. O significante, portanto, possui um papel essencial na pesquisa psicanalítica. Essa relação entre signo e significante foi buscada, inclusive, na linguística. Psicanalistas como Lacan buscaram na linguística base para a metodologia de pesquisa psicanalítica. Saussure foi um linguista francês que ficou conhecido, principalmente, pela noção que definiu entre signo e significante.

Ele observa que o signo não une uma coisa e uma palavra. Como é feito no uso da língua, a qual se reduz aos seus princípios essenciais.

Para Saussure, o signo pode ligar um conceito a uma imagem acústica. Sendo que essa imagem não é exatamente o som material, puramente físico, mas sim uma impressão psíquica desse som. Isto é, o que esse som representa para os nossos sentidos.

O pesquisador psicanalítico

Ao se analisar o método da pesquisa psicanalítica, vemos que ele depende muito de seu conhecimento na experiência de Freud. Isto é, ele está estritamente ligado a essa ciência por ele criada. Freud, pode-se assim dizer, foi o não apenas o primeiro psicanalista mas também o primeiro pesquisador psicanalítico. Além disso, a posição do pesquisador se torna muito importante na pesquisa psicanalítica. Pois ela exige de seu autor uma posição de principal participante. Este fato, em si, não é exclusivo desta metodologia de pesquisa. Já que em outras metodologias de pesquisa o autor também pode aparecer como participante principal.

Entretanto, na pesquisa psicanalítica, essa é uma condição de extrema relevância, sendo uma premissa básica. Pois ela perpassa a relação que há entre o mundo subjetivo do autor e o mundo objetivo da realidade investigada. Assim, se faz importante a compreensão entre o signo e significante.

Como ele se coloca no investigado, bem como de se desvendar as contradições que podem existir na lógica subversiva das formações do inconsciente. Por isso, o trabalho com o significante, e não com o signo, é uma característica essencial para esta metodologia de pesquisa.

Além disso, deve-se refletir que é necessário reconhecer a importância em se estabelecer um contexto de permanente discussão a respeito da proposição de um método para a pesquisa psicanalítica. Metodologia esta que está cada vez mais presente nos trabalhos de pesquisadores que buscam na metodologia criada por Freud uma base para as suas pesquisas.

Inclusive, ampliando o campo de utilização da psicanalítica para outras áreas. Mantendo viva essa ciência, seja pela sua diversidade e amplitude, seja pelo trabalho de seus herdeiros.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *