Cronologia de Freud: vida e obra

Dentre as muitas das grandes descobertas do século XX, está a descoberta do inconsciente, por Sigmund Freud. Compreendendo a contextualização histórica da época, a cronologia de Freud, vida e obra de Freud e a sua nova ciência, a Psicanálise, estão estreitamente ligadas. A descoberta do inconsciente teve grande contribuição na busca do homem por si mesmo. Através dela, se pôde compreender melhor a mente e os desejos anseios dos seres humanos. Assim como as suas neuroses, problemas psicológicos e até mesmo a psicose. Dentro desse intuito, Freud também propôs formas de se tratar esses problemas psicológicos.

Nascido em 1856, em Freiberg, Morávia, Sigmund Freud entrou na universidade de medicina, em Viena, aos 17 anos. Formou-se em 1881. Ao compreendermos um pouco sobre a vida e a cronologia de Freud, sobre sua busca pelo conhecimento. Eentendemos mais como ele chegou à descoberta do inconsciente e da Psicanálise. Além de ter estudado medicina, Freud estudou filosofia, fisiologia e zoologia. Crítico, ateu, curioso, Freud foi criando a sua própria forma de ver o mundo. A partir da qual empreendeu a sua pesquisa sobre a mente humana. Sempre com o intuito de compreender mais sobre o ser humano, de modo geral.

As diversas áreas que acabou estudando contribuíram para a base humanística que se refletiu diretamente na construção da psicanálise. Em sua busca pela mente humana, Freud dedicou-se à psiquiatria. Porém, ao concluir o curso ele percebeu que o conhecimento existente não era significativo.

De acordo com a cronologia de Freud, nas décadas de 1880 e 1890 ele se tornou um neurologista de renome. Nessa época, ele introduziu explicações nas áreas visuais do cérebro e nas áreas motoras acústicas. Além disso, desenvolveu trabalhos sobre diversos temas e patologias. Dentre eles afasia, paralisia infantil, hipertonia nos membros inferiores em enuréticos. Aos poucos, ele foi se destacando na área da medicina.

O tratamento da histeria e as primeiras teorias psicanalíticas

O interesse de Freud pela mente humana e pela psiquiatria o leva ao seu estudo sobre histeria. Nessa época, ele vai para Paris para estudar com Charlot, após conseguir uma bolsa de estudos. Charlot era um psiquiatra já renomado e respeitado pela sua utilização médica da hipnose em pacientes histéricas. Em sua teoria, Charlot descobriu que, por meio do hipnotismo, poderia eliminar temporariamente a manifestação dos sintomas da histeria. Assim como também podia criar artificialmente sintomas dessa patologia. Freud ficou fascinado com a metodologia de trabalho de Charlot. E isso acabou influenciando nos processos sugestivos e sintomas de doenças mentais, que acabaram constituindo uma base para o pensamento freudiano.

Também os trabalhos do estudioso Liebaut Bernhein auxiliaram Freud em suas teorias. Inclusive no seu processo de descoberta do inconsciente. Bernhein utilizava a hipnose para induzir os seus pacientes a receberem ordens, e depois, conscientemente, as cumprirem. Como se uma força inconsciente se sobrepusesse sobre a força consciente.

Essa foi a propulsão para que Freud, aos poucos, abandonasse a hipnose e elaborasse a sua própria metodologia terapêutica.

O médico austríaco, Joseph Breuer, realizava pesquisa de tratamento de histeria por meio da hipnose. Ele se tornou um dos principais colaboradores das teorias e ideias iniciais de Freud.

O trabalho de tratamento de Breuer com a paciente denominada ‘Ana O’ é o primeiro caso clinico de um modelo que daria origem à psicanálise. Esse método consistia em eliminar os sintomas da doença com a retomada de recordações traumáticas passadas. Esse método ficou conhecido como Método de Catártico.

Breuer introduziu Freud em suas descobertas. Ele lhe enviou pacientes para serem tratados por esse novo método. Em 1895, eles fizeram uma publicação de suas descobertas nessa área. A parceria deles permaneceu até Freud divulgar a sua teoria da sexualidade infantil, motivo de ruptura entre ambos.

Cronologia de Freud: vida e obra de Freud

Abaixo alguns dos principais acontecimentos da vida e cronologia de Freud. A fim de se compreender um pouco sobre as suas teorias. As quais estão intrinsecamente ligadas à sua vida.

  • 1856. Aos seis de maio, nasce Sigmund Schlomo Freud, em Freiberg, na Morávia, então parte do Império Austro-Húngaro (atualmente República Checa). Filho de filho de Jacob Freud, judeu proveniente da Galícia e comerciante de lã, e Amalie Nathanson, sua terceira esposa.
  • 1873. Aos dezessete anos, apesar de querer estudar Direito, Freud ingressa no curso de Medicina, na Universidade de Viena.
  • 1877. Abrevia o seu nome para Sigmund Freud.
  • 1881. Freud forma-se em Medicina.
  • 1886. Em abril, Sigmund Freud abre o seu primeiro consultório.
  • 1895. Freud publica livro os “Estudos Sobre a Histeria”. Em parceria com o médico Josef Breuer. Neste mesmo ano, Freud inicia os seus estudos os sonhos, fundamentais aos seus estudos psicanalíticos.
  • 1896. O termo Psicanálise que dá base ao modelo psicanalítico é utilizado por Freud pela primeira vez.
  • 1900. É publicado o seu livro “A Interpretação dos Sonhos”.
  • 1902. Freud funda a Sociedade Psicológica das Quartas-feiras. Neste ano Freud é nomeado professor da Universidade de Viena.
  • 1905. Publica alguns trabalhos considerados importantes para a sua carreira e para a psicanálise. Dentre eles: “Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade”, “Os Chistes e Suas Relações com o Inconsciente” e “Fragmentos da Análise de um Caso de Histeria”.
  • 1910. Freud funda a International Psycho-Analytical Association. Cujo primeiro presidente é o seu pupilo Carl Gustav Jung.
  • 1938. Sua casa em Viena e a Associação Vienense de Psicanálise são vasculhadas pelos nazistas, na então invasão que ocorre na cidade. Anna Freud, sua filha, é presa e interrogada pela Gestapo. Em junho desse ano ele se muda para a Inglaterra.
  • 1939. No dia 23 de setembro, Freud falece em decorrência de um câncer, na cidade de Londres.
Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *